Entrevistas

Compartilhe

Conheça o Hafura Project

Instituto Jetro -  Como surgiu o Hafura Project?
Giovana - Em outubro de 2018 pousei pela primeira vez no Quênia. Estava a caminho de Hurri Hills, onde passaria um mês na casa da Solange e Edilson, brasielrios residente em Karabara, para viver uma experiência transcultural de imersão na vida da comunidade local. Durante essa experiência houveram alguns acontecimentos que levaram à concepção do projeto Hafura. No primeiro dia em Hurri Hills conheci Nasibu, esposa de um dos vigias do casal. Ela possuía uma máquina de costura e não sabia mexer, pois estava quebrada. Pouco tempo depois, um grupo de pessoas foram a Hurri Hills para instalar uma torre de rádio e Joy, uma missionária de Nairobi, conseguiu consertar a máquina, proporcionando à Nasibu, a oportunidade de aprender comigo a passar a linha na máquina e entender seu mecanismo. Essa experiência despertou dois grandes sonhos: o da Nasibu de aprender a costurar e o meu de poder levar esse acesso para muitas outras mulheres. Durante esse intervalo de tempo, um grupo de mulheres da Vila Ali Boru mostrou interesse em começar uma reunião semanal com a Sol, com o intuito de terem um tempo só delas – conversar, cantar, ouvir histórias e orar. Além disso, elas ganharam um terreno e precisavam de ajuda para colocar uma cerca e aprender a plantar. A partir dessa oportunidade de relacionamento e com entendimento que poderia ensinar algo de valor para essas mulheres, em um dos encontros contei que trabalhava com roupas e que gostaria de voltar para ensiná-las corte e costura. A reação foi unânime, um sorriso no rosto, uma certa agitação e uma delas falou “vamos esperar e orar para que você volte”.   

Instituto Jetro - O que o nome significa? Qual o objetivo?  Onde ele está sendo realizado e aonde mais será?
Giovana -  
HAFURA significa – respirar, espírito, sopro de vida – e é isso que o projeto quer disseminar em todas as comunidades onde será implantado.
Os objetivos são:
DESPERTAR MULHERES PARA SEREM AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO PARA AS PRÓXIMAS GERAÇÕES.
-Promover reflexões sobre seu papel dentro de suas comunidades e estimular o sentimento de serem capazes de produzir mudanças;
-Incentivar a comunicação ativa e relacionamento dentro de casa;
-Elaborar, juntamente com elas, atividades práticas para estimular a criatividade, intelecto, coordenação motora fina, interação social.
ENSINAR UM OFÍCIO
-Ensino prático com aulas técnicas;
-Instrução sobre formas de negócio: precificação, vendas, administração de recursos.

Podemos mudar o mundo para uma Mulher. Ela pode mudar o mundo para sua Família. Essa família pode mudar o mundo para sua Comunidade. Essa comunidade pode mudar o mundo para sua Região.
O próximo local para o Hafura Project que está em estudo é em Londrina-PR.

Instituto Jetro - Você trabalhou no tempo da faculdade como estagiária e depois de formada como estilista de grandes marcas como: BO.Bô, Mo.Officer/Miele, Dephina, Restoque S/A, como foi tomar a decisão de largar tudo para criar o Hafura Project?
Giovana - Quando decidi deixar meu emprego eu ainda não sabia sobre o Hafura, apenas que precisava viver uma experiência muito fora da minha zona de conforto para entender quais seriam os próximos passos. Fui atrás de algumas opções e cheguei na Miaf - eles têm um programa de Curto Prazo e uma das opções era Hurri Hills, para atuar junto com o casal de brasileiros com o ministério infantil. Foi uma decisão guiada por Deus, então não foi algo difícil ou pesado; foi muito natural e leve! Trouxe muita alegria!

Instituto Jetro - Quem faz parte da sua equipe?
Giovana - O Hafura está vinculado com o ministério do casal de missionários em Hurri Hills (Solange e Edilson), eles são nossos parceiros; a equipe Hafura é formada por mim, pela Giovana Fogaca e pela Sirlene Ote. Além do apoio da MIAF e todas as pessoas, escolas e igrejas que nos apoiaram financeiramente.

Instituto Jetro -  Qual o problema vocês estão resolvendo?
Giovana - 
Nós entendemos que o Hafura é um projeto que se propõe a levar um sopro de vida para mulheres em vulnerabilidade e com pouco acesso à recursos, através de conversas, desenvolvimento humano e capacitação técnica.

Instituto Jetro - Como funciona, como acontecem as ações?
Giovana - 
O projeto piloto está acontecendo em Hurri Hills, uma região no norte do Quênia. Levantamos recursos para uma equipe técnica de três mulheres, construção de um atelier, compra de duas máquinas e todos os materiais para capacitação e uma primeira produção que será vendida no Brasil.

Instituto Jetro - Como a missão de Deus pode ser vista no seu projeto?
Giovana - 
O projeto está sendo desenvolvido em uma região com pouco acesso à leitura e Palavra de Deus, com muitos analfabetos, num povo considerado não-alcançados pelo Evangelho. Junto com a criatividade e a expressão de ser, fazer e criar, trazer a expressão de Deus em um projeto só para a plantação do reino de Deus neste lugar é o maior presente que qualquer pessoa ou projeto desenvolvido pode oferecer para as vidas.  

Instituto Jetro - Como as pessoas podem ajudar o Projeto?
Giovana - 
Atualmente através de divulgação, apoio financeiro e orações. Acesse as nossas redes sociais @hafuraproject ou visite nosso site www.hafuraproject.org. Para futuros momentos queremos voluntários, parcerias com universidades, marcas e indústria de moda.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também
Confins da terra: África!
Coral Watoto e a Vila das crianças
Captação de recursos e a vibialização de parcerias