Quando amamos a Igreja - Reflexão - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Reflexão > Quando amamos a Igreja

Quando amamos a Igreja


Publicado em 28.03.2017

Quando amamos, temos motivação suficiente para agirmos com base nesse amor.

O amor é gerador poderoso de atitudes e atos coerentes e ferventes (Rm 12.11). Quando amamos a igreja de Jesus, somos capazes de orar e trabalhar intensamente por ela, por sua unidade e pelo seu crescimento em todas as dimensões, como o Senhor Jesus ensinou em Sua oração sacerdotal de João 17. As coisas não acontecem na igreja por falta de amor dos seus membros. A igreja fica parada e, muitas vezes, estagnada por culpa daqueles que não a amam. Estas pessoas estão voltadas para os seus interesses pessoais. A igreja não é prioridade em suas agendas.

O nosso modelo de amor é o Senhor Jesus que deu a Sua vida pela igreja (1 Pe 1.17-21).
Ele nos indaga: Morri na cruz por vocês e o que vocês têm feito por mim? O que temos feito para que a igreja cumpra fielmente a sua missão no mundo? Pedro deixa claro que a igreja de Jesus é geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, para que anuncie as virtudes daquele que a tirou das trevas para a sua maravilhosa luz. Não éramos povo de Deus, mas agora somos o Seu povo por causa da Sua misericórdia (1 Pe 2.9,10).

Nutrindo amor pela igreja nós oramos intensamente por ela; aproveitamos as oportunidades para evangelizar e discipular pessoas; participamos ativamente da comunhão dos santos; procuramos ser assíduos e pontuais; tratamos com zelo os seus desafios; usamos dons e talentos para a sua maturidade e o consequente crescimento equilibrado; entregamos dízimos e ofertas liberalmente e com alegria, investindo com amor em suas necessidades; investimos com amor na obra missionária e ajudamos as pessoas mais carentes em suas necessidades.

Quando amamos a igreja revelamos o amor que temos ao Senhor, a nós e ao próximo (Mt 22.34-40).

Deus é glorificado quando amamos a igreja de Jesus, Seu Filho. O nosso amor pela igreja promove um ambiente de alegria, paz e serviço. Quando amamos a igreja testemunhamos o nosso compromisso com a sua missão de anunciar a Cristo até que Ele volte. Não nos esqueçamos: quando amamos a igreja de Jesus fazemos tudo por ela, pois o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta (1 Co 13.4-8). 

Ao amarmos a igreja temos prazer em perdoar como Jesus perdoou; prazer em servir como o Mestre serviu (Mt 20.28); prazer em viver a comunhão fraterna à semelhança da igreja primitiva (At 2.42-47; 4.32-37); prazer em interceder diariamente por ela; prazer em defender a verdade do evangelho de Cristo. Amarmos a igreja significa não termos vergonha e nem medo na condição de seus membros (Rm 1.16). A Trindade de Deus é exaltada quando o amor à igreja é bem maior do que o amor que nutrimos pelos nossos interesses mais diversos. Devemos amar a igreja pela qual o Senhor Jesus deu a Sua própria vida, derramando o Seu precioso sangue para salvá-la e santificá-la no Espírito.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também
Gente que faz o trabalho invisível
O que tenho aprendido (mais uma vez) plantando uma igreja
Ministérios na unção
Princípios essenciais do ministério

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/reflexao/quando-amamos-a-igreja.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Quando amamos a Igreja
Autor: Oswaldo Luiz Gomes Jacob

Mais Lidos

carregando...

Comentários