Doutrina dos apóstolos - Liderança Pastoral - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Liderança Pastoral > Doutrina dos apóstolos

Doutrina dos apóstolos


Publicado em 06.09.2017
"Eles perseveravam no ensino dos apóstolos..."
Atos 2.42

Esta foi a igreja primeira. Sua primeira multiplicação saudável, sem aplicação de estratégias humanas. Multiplicação explosiva à partir de um discurso ousado e revestido de poder, onde três mil almas se renderam a Jesus Cristo. Que maravilhoso!

O médico Lucas, escritor do livro de Atos, narra o modus vivendi, o estilo de vida que esta igreja vivia, o que nos deve fazer refletir dia após dia sobre o assunto, de maneira que não nos afastemos deste estilo de vida e que nos apeguemos a ele como um alvo a ser vivido. No entanto quero aqui meditar apenas sobre uma, das quatro perspectivas (consciências) de vida e de reunião destes crentes, que lhes conferia crescimento, poder e autoridade em seu tempo: A doutrina dos apóstolos. 

Eles viviam sob todos os ensinamentos dos apóstolos, ou seja, todos os ensinamentos de Jesus. Tudo o que Jesus havia ensinado, eles replicavam.
Havia uma consciência na mente de cada irmão que eles deviam viver cada palavra que o Mestre havia ensinado. Suas palavras eram valorizadas, tanto por quem ensinava quanto por quem aprendia. A propósito, as palavras de Jesus sempre foram o centro de Seu profícuo ministério. Tudo girava em torno de suas palavras. Aplicar Sua palavra era tido como quem constrói uma casa sobre a Rocha (Mateus 7.24), traduzindo SEGURANÇA. Era também a expressão de quem o amava (João 14.23), traduzindo a real expectativa do Cristo sobre a FORMA de alguém amá-lo. Aliás, em Suas últimas palavras aos discípulos, ele dá uma ordem missiológica que também envolve DIRETAMENTE Suas palavras. Em Mateus 28.19-20, Jesus ordena: "...fazei discípulos... os ensinando a guardar todas as palavras que eu vos tenho ordenado".

Ora, concluímos então que discipulado é ensinar as doutrinas de Jesus. PONTO FINAL. Mas, perai... Não é o que temos visto nos dias de hoje.
Não há uma sede pelas palavras de Jesus, salvas as raras exceções. Não há preocupação, nem energia gasta, nem desejo na pregação pelas PALAVRAS do Mestre.

Fico pensando naquela passagem de João 6. Milhares de pessoas estavam seguindo Jesus, mas era puro interesse, não era uma multiplicação saudável. Assim que Ele percebeu isto, deu-lhes uma dura palavra que os fez ir embora. Sobrara somente os 12. Ao serem questionados se também iriam embora eles responderam: "Para onde iremos? Só tu tens as PALAVRAS de vida eterna". Estes 12 ficaram por causa de Suas palavras. Mas assim como aquelas milhares de pessoas interesseiras andando atrás de Jesus, hoje também vemos o mesmo quadro em muitas igrejas. E o pior, há uma demanda de discurso para MANTER este tipo de pessoa. O discurso tem que ser leve, massageador, motivacional, recheado de misticismo e falsas promessas.
E para não perderem membresia, muitos pastores se rendem aos encantos desta demanda, não expondo as PALAVRAS de Jesus, trazendo todo tipo de doutrina, menos a de Jesus.

A quem você dá ouvidos?

Outro dia eu estava numa igreja que promovia um determinado seminário e o pastor convidado (de fora, outro Estado, renomado) pregava e dizia: "há determinados horários para o desenvolvimento das atividades demoníacas. O horário principal é as 3 da madrugada". A igreja estava lotada e os irmãos, muito ingênuos, saíram de lá impactados com aquela informação, conferindo ao citado pastor, autoridade e muito conhecimento. Um irmão chegou até mim e disse: "você viu pastor, que coisa interessante? Os demônios atuam as 3 da manhã e precisamos orar mais neste horário". Ironicamente eu perguntei: "Horário de Brasília ou local?". O irmão quase "bugou".

Após uma longa conversa expliquei a ele que aquelas informações são o que a Bíblia chama de DOUTRINA DE DEMÔNIOS, pois são informações importadas de terreiros e lugares afins, onde outrora pessoas serviram aos demônios, e nós, Cristãos, não devemos dar a mínima importância a tais doutrinas, pois o que nós devemos mesmo saber é como AGRADAR nosso Pai celestial, pois, fazendo isso, nenhum mal pode nos suceder, ainda que fosse verdade aquela informação que o "pai da mentira" disse em seu antro de adoração pagã.

Concluindo, quero chamar sua atenção e perguntar: "será que não trocamos a doutrina dos apóstolos pelas doutrinas dos homens e a dos demônios"?
Muito fácil saber. Ao ouvir um pregador (ou pregar uma palavra, se você for um pregador), confira se o teor da mensagem exposta tem associação direta com aqueles ensinos de Jesus, tipo, "dê a outra face", "não cobice", "não minta", "dê a quem te pede", "ande duas milhas e não uma", "ame o inimigo", e outras mais que saíram direto da boca de Jesus. Se não tiver, DELETA.
Deus nos abençoe.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também:
Pastores, quem são eles?
Solidão, crítica e rejeição: os custos da liderança
Igreja para o lado   

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/lideranca-pastoral/doutrina-dos-apostolos.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Doutrina dos apóstolos
Autor: Douglass Suckow

Mais Lidos

carregando...

Comentários