Generosidade jubilosa - Finanças e Contabilidade - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Finanças e Contabilidade > Generosidade jubilosa

Generosidade jubilosa


Publicado em 08.11.2016
"Cada um contribua de acordo com o que decidiu no coração; não com tristeza nem por constrangimento, pois Deus ama a quem dá com alegria" (2 Co 9.7).

A generosidade do cristão autêntico é jubilosa. Para aquele que nasceu de novo, contribuir é prazer, deleite, profunda alegria. Podemos aqui fazer um contraste entre a oferta cristã de Barnabé (At 4.36,37) e a oferta religiosa de Ananias e Safira (At 5.1,2). A generosidade jubilosa de Barnabé contrastou fortemente com a oferta triste de Ananias e Safira, que foram desonestos em reter o que não os pertencia. Então, é bom ressaltar que Barnabé é o nosso modelo de generosidade jubilosa. Poucas pessoas na igreja são generosas, liberais em repartir e em investir na expansão do Reino de Deus em toda a terra.

O Senhor não quer que contribuamos por obrigação, de forma religiosa, mecânica, mas com imenso prazer, movidos pelo amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. Há líderes que não são exemplo de liberalidade ou generosidade jubilosa, movida pela experiência com Cristo. Há líderes que nem dizimistas são. Nesta área, não servem de modelo para o rebanho do Senhor. A generosidade jubilosa é marcada pela experiência do novo nascimento e a consequente submissão a Cristo como Senhor. Não devemos contribuir com tristeza e nem por constrangimento, mas com prazer imenso. Jesus é o Senhor do nosso bolso.

Generosidade e fé

Deus ama os que são profundamente alegres em contribuir para a manutenção e expansão da Sua obra na terra. Os discípulos de Jesus são marcadamente ordenados e felizes em sua vida financeira. Há no seu orçamento as contribuições de amor. O seu orçamento contempla o investimento em vidas preciosas que pregam o evangelho com a seriedade de Cristo. Quando o nosso coração está no Senhor tudo acontece a partir dessa realidade. Quando o ensino das Escrituras entra em nosso coração, somos pródigos em ofertar. Investir na pregação do evangelho não é pesado.
  
A generosidade jubilosa está ligada visceralmente à fé, pois "sem fé é impossível agradar a Deus" (Hb 11.6). Todo cristão genuíno contribui mediante a sua fé na suficiência de Cristo Jesus. Como presente de Deus, a fé é um instrumento de transformação de vidas. Quando contribuímos por fé, podemos ver claramente a ação de Deus em salvar pecadores. Agir com generosidade jubilosa é revelar o amor de Cristo em nossas atitudes. Quando Cristo é o centro das nossas vidas praticar a generosidade jubilosa é uma consequência natural.

Muitas pessoas não são generosas porque lhes faltam a fé e a confiança no Deus que supre todas as necessidades em Cristo (Fil 4.19,20). Infelizmente, há aqueles que não possuem uma experiência com Cristo Jesus. Estes não têm a mínima vontade de investir no Reino de Deus. Os generosos jubilosos têm a alegria da salvação. Eles dão valor à vida que receberam de Cristo. São profundamente gratos a Deus pela vida dos que foram generosos na expansão do evangelho de Cristo. Paulo foi muito grato a Deus pela igreja em Filipos, por esta igreja ter enviado uma oferta de amor (Fil 4.10-20).

Revelamos a generosidade de Cristo quando focamos as necessidades do próximo. Paulo ensinou esta verdade aos irmãos em Corinto: "Porque o ministrar essa assistência não apenas supre as necessidades dos santos, mas também transborda em muitas ações de graças a Deus" (2 Co 9.12). É muito precioso para Deus quando Seus filhos sentem prazer em contribuir para ajudar pessoas doentes, para missões e quaisquer outras demandas dentro e fora da igreja. As igrejas da Macedônia foram pródigas em dar, em atender prazerosamente às necessidades dos irmãos da Judéia, quando estes passaram por uma terrível seca.

O escritor Charles Swindoll, nos presenteia com quadro sugestões preciosas para trazer de volta a alegria de que tanto necessitamos em nossas vidas, hoje: Reflitamos nas dádivas de Deus ofertadas a cada um de nós (Sl 103.1-3); lembremos das promessas de Deus com respeito à generosidade; examinemos o nosso coração e glorifiquemos a Deus sendo extremamente generosos. A generosidade jubilosa está presente em toda Bíblia. Uma leitura cuidadosa da Palavra de Deus nos levará aos fundamentos e a prática da generosidade exercida com profunda alegria.

Sejamos jubilosamente generosos dentro e fora da igreja

Que contribuamos segundo o nosso coração em Cristo. Que invistamos em vidas preciosas. Estendamos as mãos aos que precisam de nós e o façamos com muita alegria. Deus ama e tem prazer ao que contribui com alegria. Deus nos deu dons e talentos com o objetivo de serem usados para a Sua glória e expansão do Seu Reino. Que o Pai, ao sondar o nosso coração, veja o nosso júbilo em primeiramente dar-nos a Ele e, depois, aos que precisam. Que as nossas vidas sejam um sacrifício vivo, santo e agradável a Ele como um culto racional, lógico (Rm 12.1,2). Celebremos a generosidade cristã na igreja local e na denominação!

Seja o Senhor sempre glorificado em nossa generosidade jubilosa!

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia Também:
A lenha da contribuição
Liberalidade: o dom de repartir
Dízimo: contribuição voluntária
O cuidado com as finanças 2

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/financas-e-contabilidade/generosidade-jubilosa.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Generosidade jubilosa
Autor: Oswaldo Luiz Gomes Jacob

Mais Lidos

carregando...

Comentários