Artigos

Compartilhe

Liderança Pastoral

Oração de confissão

Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar (Salmos 51.4).

O salmo 51 tem como pano de fundo a história de Davi, homem segundo o coração de Deus, quando pecou com Bate-Seba e foi denunciado pelo profeta Natã (2 Samuel 11 e 12). É uma linda, sincera e profunda oração que nos ajuda a compreender os passos que precisamos dar ao confessarmos nossos pecados.

Em primeiro lugar, precisamos reconhecer o pecado. Davi não hesitou em reconhecer que havia pecado diante de Deus orando: Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos (v 4). Assim deve ser nossa atitude diante de Deus. Muitas vezes, temos dificuldade em reconhecer nossos pecados, somos específicos e detalhistas quando se trata da oração de petição, mas genéricos e evasivos ao confessarmos nossos pecados (multidão de pecados). Em nossa oração de confissão usemos a primeira pessoa do singular: “Eu pequei e fiz o que é mau diante do Senhor”.

A segunda atitude que devemos ter na prática da confissão é arrepender do pecado. Posso fazer uma lista de pecados que tenho cometido diante de Deus, mas se isto não for fruto de um coração quebrantado e arrependido, de nada adianta, pois sabemos que: sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus (v 17). O arrependimento é gerado em nosso coração pela pessoa do Espírito Santo, não é uma tristeza para culpa ou para morte, mas uma tristeza que gera salvação (2 Coríntios 7.10) e como resultado, seremos renovados em nossa alegria (v 12).

A terceira atitude que devemos ter ao orarmos confessando nossos pecados é abandonar o pecado. Em tempos modernos é muito comum a relativização das verdades bíblicas e a procrastinação para tratar áreas importantes de nossa vida. Alguns irmãos até brincam que possuem um “pecado de estimação”. Sempre que são alertados sobre essa área de sua vida dizem que irão mudar “amanhã”. O pecado, quando acontece, deve ser um acidente na vida do cristão, deve ser como algo muito amargo colocado em nossa boca que rapidamente jogamos fora. Assim como Davi devemos buscar e orar para que Deus crie em nós um coração puro e renove dentro de nós um espírito inabalável (v 10).

Talvez tenhamos chegado à conclusão de que precisamos ser limpos em algumas áreas de nossa vida nesta hora. O que é que pode nos deixar limpos? O salmista orou: Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve (v 7). Por que hissopo? Uma pequena árvore que era usada no Antigo Testamento para aspergir o sangue dos sacrifícios e a água purificadora (Êx 12.22 – umbrais porta; Lv 14.6-7 - leprosos). Davi tinha em mente o sangue aspergido para perdão dos pecados. O salmo 51 aponta para Jesus. Seu sangue vertido e seu corpo partido na cruz nos fazem viver em santidade diante de Deus, pois agora não há mais nenhuma condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus.

Leia também
Tetélestai, temos vitória sobre o pecado 
Fé viva ou fé morta
O perdão de Deus

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com