Artigos

Compartilhe

Gestão de Pessoas

Atitude X qualificação


"Prefiro perder a pessoa mais qualificada, mas com a atitude errada, e ficar com a pessoa menos qualificada, mas com a atitude melhor". Tyler Perry

Uma discussão recorrente sobre buscar parceiros ou colegas de equipe se relaciona à dinâmica atitude X qualificação. No final das contas, qual é o critério decisivo? Para muitos, é a qualificação. Se a pessoa tem competência, know-how e condições de realizar um trabalho, então, ela será a escolhida em detrimento de outra que não tem todo esse conjunto qualitativo.

A questão aqui é que, em alguns casos, o mais competente não é o mais ético, companheiro ou esforçado. Talvez não seja o mais equilibrado emocionalmente e nem o que sabe receber críticas ou encara situações novas com disposição para aprender. E aí, voltamos à mesma discussão, pois toda a competência, por vezes, não é o suficiente para contrabalancear um perfil psicológico.

Desde a discussão sobre múltiplas inteligências na década de 1980 e a imprescindível contribuição de Howard Gardner para com essa teoria, já sabemos que não basta ter um QI elevado: é necessário também ter outras habilidades. O princípio pode nos ajudar na discussão Atitude X Qualificação. É fácil mensurar o mais qualificado, mas nem sempre se consegue perceber aquele com a melhor atitude. E, acredite, em um momento de crise ou em uma situação que exija o máximo da equipe, a qualificação talvez não seja o critério crucial. O que, de fato, fará a diferença é a atitude. É o modo como a pessoa encara a adversidade, ajuda os colegas, vive os desafios com inteireza de espírito e até mesmo dá seu máximo até debaixo de privações financeiras ou estruturais.

Atitude certa 

Tyler Perry, entrevistado por Bill Hybels no Congresso Leadership Summit 2014, declarou que havia feito a opção de manter em sua equipe as pessoas com a atitude certa. A qualificação, segundo ele, ficava em plano menor. E explicou que o motivo dessa opção residia no fato de que, com uma atitude errada, o espírito de equipe é perdido. Concordo plenamente. Uma atitude errada pode colocar tudo a perder. E, nessa hora, os cursos e o brilhantismo serão abafados por uma postura rígida demais, por traços de preguiça ou vaidade, por falta de reconhecimento de erros e várias outras atitudes nocivas a um membro de equipe.

Uma pessoa menos qualificada, mas com a atitude certa, poderá crescer muito, pois estará disposta a aprender e superar-se. Mas, uma pessoa muito qualificada com a atitude errada não conseguirá aprender mais nada. Viverá na ilusão de que é melhor do que todos e que não precisa de ninguém. De fato, é preferível ficar com a pessoa menos qualificada, investir nela e aproveitar sua atitude, que mostra um caráter já mais maduro, que aprendeu na vida que não estamos sozinhos e que precisamos aprender a conviver e a superar os obstáculos.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia Também:
O líder e os traços vitais de um relacionamento saudável
A pessoa certa no lugar certo
Buscar profissionais certos ou treinar certos profissionais?