Artigos

Compartilhe

Reflexão

Meditação Cristã

As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu (Salmo 19.14).           

Meditar significa, de acordo com o dicionário, submeter a um exame interior, pensar em, estudar, ponderar, considerar; por conseguinte, meditação é concentração intensa do espírito; é reflexão. A fonte da meditação cristã é sempre a palavra de Deus. O salmista ora: "Os meus olhos antecipam-se às vigílias noturnas, para que eu medite nas tuas palavras" (Salmos 119.148). Essa meditação não tem nada a ver com qualquer prática de misticismo oriental que pretende "escutar a voz de Deus" através de revelação extra-bíblica. O conteúdo da meditaçãoé sempre a Bíblia, a qual é "inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra" (2 Timóteo 3.16-17).

Vejamos alguns benefícios que alcançamos quando meditamos na palavra de Deus.  

Limpeza interior

Ao meditarmos na palavra, ela penetra o nosso interior e nos limpa das impurezas. Jesus disse aos discípulos: "Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado" (João 15.3). De fato, "a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração" (Hebreus 4.12).

Quando interiormente limpos pela palavra, somos "edificados para habitação de Deus no Espírito" (Efésios 2.22). Essa realidade interior se expressa exteriormente "porque a boca fala do que está cheio o coração" (Mateus 12.34b). Podemos orar como o salmista: "Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra  ti" (Salmos 119.11).

Nutrição espiritual

Ao ser tentado para transformar pedras em pães depois de quarenta dias de jejuns, Jesus resistiu com firmeza: "Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus" (Mateus 4.4). Assim como o corpo precisa de alimentação adequada para que seja saudável, também o nosso espírito deve rejeitar as ilusórias iguarias do mundo para alimentar-se da palavra de Deus. O alimento da palavra deve ser recebido em porções diárias e digerido pela meditação para que o espírito seja devidamente nutrido e fortalecido. O coração cheio de Deus pela palavra está saciado como expressa o salmista: "no meu leito, quando de ti me recordo e em ti medito, durante a vigília da noite" (Salmos 63.6). 

Orientação segura

Estamos expostos a muitas vozes sedutoras que enganam e desorientam. Mas devemos rejeitar essas vozes e buscar a orientação segura na palavra de Deus. "Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite" (Salmos 1.1-2). Quem medita na palavra jamais fica desnorteado porque ela é "lâmpada" para os nossos pés e "luz" para os nossos caminhos (Salmos 119.105).

Concluindo, estejamos certos de que há um caminho seguro para o sucesso legítimo e para a verdadeira prosperidade: "Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem- sucedido" (Josué 1.8).

Artigo publicado originalmente no site www.ipilon.org.br e que gentilmente o autor permitiu a publicação no site do Instituto Jetro.

Para solicitar autorização para reprodução, use o falecom do site. 

Leia Também
Meditação Cristã
O cuidado da solitude
Resgatando a biblicidade na pregação